A  OFICINA

Em 11 de novembro de 1971,  aos 44 anos, Francisco entrou na oficina para nunca mais sair: 

“Aguardo ao pé da ponte da antiga estrada de ferro o caminhão carregando os meus destroços, que começo a transportar para a Cerâmica São João. Entrarei hoje nesta velha fábrica, ainda com um sentimento de perda; contudo, não faz mal, melhor que seja assim. Sinto no ar, na sombria atmosfera destes enormes galpões semi-destruídos, que algo está acontecendo ou na iminência de acontecer. Na penumbra dos corredores, fecho os olhos e aguardo o sonho...”